Imprimir faturas
English Português

Notícias

Emergência no Rio Grande do Sul


Na madrugada de 23 de setembro, às 4h11, o Centro de Operação do Sistema da Eletrosul (Cose) detectou falha na Linha de Transmissão Nova Santa Rita – Camaquã 3 (230 kV), entre os municípios de Triunfo e Charqueadas (RS). A linha é de propriedade da Transmissora Sul Brasileira de Energia (TSBE), em que a Eletrosul detém 100% de participação. Não houve interrupção no fornecimento de energia para a região devido ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Equipes da Regional de Manutenção do Rio Grande do Sul (RMRS), em inspeção, identificaram três torres danificadas na travessia do Rio Jacuí (uma delas na Ilha do Araújo), e seus cabos condutores caídos na água, em razão de uma tempestade que provocou ventos de mais de 100 km/h, de acordo com a Somar Meteorologia.

Imediatamente, as autoridades responsáveis pelo controle da navegação no rio foram alertadas. O trânsito de embarcações naquele trecho da hidrovia foi interditado até que os cerca de 12 km de cabos fossem retirados da água pelas equipes da RMRS – o que ocorreu logo no dia seguinte, com a utilização de balsas especiais, barcos rebocadores, tratores e outras estruturas contratadas.

Ainda no dia 24, foi finalizada solução técnica para continuidade da comunicação por meio da instalação de um ramal dielétrico com fibras ópticas entre a linha afetada e a LT Nova Santa Rita – Povo Novo (500 kV), de propriedade da Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE), com participação da Eletrosul (51%) e CEEE (49%). Paralelamente, a TSBE e equipes de Engenharia de Manutenção da Eletrosul providenciavam estratégias para a solução sistêmica da ocorrência, já que, pela especificidade das torres danificadas (cerca de 91 metros de altura), não havia reservas suficientes para a recomposição imediata.

Assim, uma empresa foi contratada pela TSBE para instalação de um ramal emergencial com torres provisórias, supervisionada por equipes de Manutenção e Engenharia da Eletrosul. Os serviços da etapa emergencial de recuperação das torres foram finalizados e a LT foi entregue à operação às 14h34 de 24 de outubro. A energização foi liberada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) às 14h53. A fase final da operação, com a montagem das estruturas definitivas, deve ser concluída até o final do ano.

Equipes da RMRS, em conjunto com o Departamento de Automação, Proteção e Telemática (DTL) e o Departamento de Manutenção do Sistema (DMS), prestaram apoio à execução das atividades contratadas pela TSBE durante todo o processo.


Jonatas Andrade
Coordenador de Comunicação
Assessoria de Relações Institucionais - Eletrosul

Voltar